Pular para o conteúdo principal

Bloco Sedutores e Ciganinha completa 15 anos

Comemorando 15 anos de existência, o Bloco Carnavalesco Sedutores e Ciganinhas fará desfile e realizará desfile o seu III Baile Carnavalesco na próxima terça feira, dia 25 de fevereiro, com concentração a partir das 15h00min, na Praça Erasmo Santa Bárbara no centro de Barra dos Coqueiros. A festa é organizada pelo Instituto Dona Sula, organização não governamental que atua em defesa da cultura popular em Barra dos Coqueiros.
O presidente do Instituto Dona Sula, Gledson Soares, explica que o Sedutores e Ciganinhas tem o intuito de homenagear os antigos carnavais do município, mantendo viva a tradição do carnaval de rua. “Por isso, o bloco é animado com o frevo, pagode e o Axé Music tradicional. “É um carnaval para as famílias de Barra dos Coqueiros e dos visitantes de outras cidades. Carnaval de paz e de alegria. Fazemos uma festa livre de violência e foi isso que tornou nosso bloco o maior de Barra dos Coqueiros”, completou Caducha.
História do Bloco
O bloco resgata os antigos carnavais de rua da Barra dos Coqueiros, que tinham como seus expoentes os blocos “Ciganinhas”, que ia às ruas aos sábados de carnaval, e “Os Sedutores do Frevo”. Organizados respectivamente por Dona Cica e pelo saudoso Francisco Fagundes, o popular Galeão, as duas figuras desempenharam papel importante na cultura e na política da Barra dos Coqueiros, os blocos carnavalescos atingiram o ápice nas décadas de 1960 e 1970. Com a morte de Dona Cica, na década de 1980, as agremiações carnavalescas perderam força e foram interrompidas.
Em 2005, o Bloco Sedutores da Ilha foi rearticulado por Roberto Calazans Costa, que ocupava o cargo de Diretor de Cultura de Barra dos Coqueiros, Cláudio Caducha, Luiz Roberto, Sissinho Moura, então vice-prefeito, pelo então Secretário de Educação de Barra, Luiz Alberto e pela mestra Dona Yolanda do Samba de Coco. A partir da sua terceira edição após a rearticulação, o mandato parlamentar do então vereador Cláudio Caducha assumiu, ao lado de voluntários, a coordenação do Bloco. Em 2016 o Bloco passou a se chamar “Sedutores e Ciganinhas” para melhor explicitar a homenagem às duas agremiações que fizeram história na nossa cidade. Hoje, a festa é comandada pelo Instituto Dona Sula e com o auxílio de apoiadores e do comércio local que ajudam a financiar a iniciativa. “Com o passar do tempo, o bloco foi se consolidando e hoje é o maior bloco carnavalesco da Barra dos Coqueiros”, explica, com orgulho, Gledson Soares.
Instituto Dona Sula
Fundado há cerca de seis anos pelo neto da ilustre que carrega o nome da instituição, o Instituto Dona Sula é uma entidade sem fins lucrativos que atua no campo da preservação e do fortalecimento da cultura de Barra dos Coqueiros. O presidente da associação, Gledson Soares, explica que o principal objetivo do instituto é formular políticas públicas nas áreas de cultura, educação e geração de emprego e renda.
O nome do Instituo é uma homenagem a Maria São Pedro Lima da Silva, mais conhecida como Dona Sula. Religiosa, ela iniciou sua vida artística cantando no coral da Igreja de Santa Luzia. Foi ela que ajudou a organizar as primeiras quadrilhas juninas do município, fundou o grupo de reisado, samba-de-coco e pastoril em Barra dos Coqueiros, além de ter sido fundamental no processo de articulação do carnaval de rua do município.

Por organizadores do Bloco

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Decisão do ministro Alexandre de Moraes é temerária para um dos maiores constitucionalista brasileiro, Ives Gandra Martins

O artigo a seguir foi extraído do endereço eletrônico registrado no final, e tem a autoria de um dos maiores constitucionalista brasileiro, Ives Gandra Martins, que faz referência, inclusive, à possibilidade de intervenção militar diante da desordem e desarmonia entre os poderes (em negrito no texto). Leia na íntegra: "Harmonia e independência dos poderes? Por Ives Gandra Martins Aos 85 anos e mantendo amizade e admiração com e por grande parcela dos juristas brasileiros e muitos estrangeiros, de todas as colorações ideológicas, é sempre com constrangimento que, no dever que me imponho de cidadão, sinto-me na obrigação de expor opinião contrária àqueles expoentes do direito, que, sendo amigos, encontram-se em funções públicas. Ao ler a Constituição, cujos trabalhos acompanhei de perto, participando de audiências públicas, oferecendo textos, alguns aprovados pela Constituinte e, informalmente, assessorando alguns constituintes, não consigo encontrar nenhum dispositivo que

A "generosidade" do Banese em nome da pandemia visa lucro altíssimo

O governador Belivaldo Chagas determinou que o Banco do Estado de Sergipe PRORROGASSE por três meses as mensalidades dos empréstimos consignados dos servidores públicos, bem como os CDCs , devido o momento difícil que todos estão passando pela pandemia do Covid-19. Desde o dia 1° de maio o BANESE   já disponibilizou para os aplicativos de smartphones a opção de "PRORROGAÇÃO" para quem tem empréstimo com a instituição financeira, e já provocou dúvidas e indignação em quem fez simulações nas "ofertas generosas" do banco para seus clientes. Diferente do que determinou o governador do Estado, e mais ainda do que explicou a assessoria de comunicação do BANESE, que disse o seguinte: "Dessa forma, a prorrogação está sendo oferecida com a manutenção da taxa de juros do contrato anterior, sem aumento no valor mensal das parcelas e sem cobrança de IOF, com a distribuição dos juros de carência nas parcelas do novo contrato". Dito assim, leigo que somos do sis

CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS VIRTUAIS

Nestes últimos dias fomos agraciados com mais uma novidade que irá vigorar nas próximas eleições municipais, a possibilidade de que as convenções partidárias ocorram virtualmente. É certo que a pandemia que nos aflige acelerou mudanças que seriam observadas ao longo dos anos, fazendo presente cada vez mais a tecnologia à nossa vida, consequentemente ao sistema eleitoral também. Já passamos pelo período das janelas partidárias, das filiações, do alistamento, de mudança de domicílio eleitoral e de regularização do título de eleitor, tudo feito de forma virtual. Em nossos textos é sempre mencionada a necessidade de adequação ao momento em que estamos vivendo, e a experiência vem demonstrando tal necessidade, sendo certo o fato de que quem não buscar se amoldar ao momento poderá ficar para trás no pleito vindouro. Especificamente no que tange à realização das convenções partidárias por meio virtual, foi realizada consulta ao TSE questionando esta possibilidade, sendo proferido Parecer favo